Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Curly aos Bocadinhos

Curly aos Bocadinhos

Leitura Terminada

350x.jpg

Sinopse

Côte d’Azur, 1998. Émilie lutou sempre contra o seu passado aristocrático. Agora, com a morte da mãe, é obrigada a confrontá-lo pois é a única herdeira do imponente castelo da família. Mas com a casa vem uma pesada dívida e muitas interrogações: qual era a finalidade do quarto secreto que descobre por baixo da adega? Quem é a misteriosa Sophia, que assina um comovente caderno de poemas? Quem foram os protagonistas da trágica paixão que mudou o curso da história da família?

Londres, 1943. Em plena Segunda Guerra Mundial, a inexperiente Constance Carruthers é recrutada pelos serviços de espionagem britânicos e enviada para Paris. Um incidente separa-a do seu contacto na Resistência Francesa, obrigando-a a refugiar-se junto de uma família aristocrata que entretém membros da elite de Hitler ao mesmo tempo que conspira para libertar o país. Numa cidade repleta de espiões e no auge da ocupação nazi, Constance vai ter de decidir a quem confiar o seu coração.

Constance e Émilie estão separadas por meio século mas unidas por laços que resistiram à força demolidora do tempo. Os segredos que o passado encerra pulsam ainda em busca de redenção.

 

Começo desde logo por dizer: obrigada S. pelo empréstimo deste livro!! Estava mesmo a precisar de um livro assim!

Já tinha gostado do outro livro desta autora que a minha amiga me fez chegar. Mas este…adorei! Que história maravilhosa!

Uma história que vai andando em avanços e recuos, que nos leva até ao cenário da II Guerra Mundial e ao ambiente que se vivia em França e Inglaterra, os esforços para mandar abaixo o governo de Hitler e o papel relevante que tiveram muitos homens e mulheres recrutados como espiões britânicos.

Nesta história é especialmente com Constance que se vai criando todo o novelo que depois vai terminar em Émilie.

É uma história muito bem escrita, que nos prende do início ao fim. A autora criou personagens muito interessantes e outros nada de interessantes, mas bastante credíveis e mantém muito bem a intriga de forma a queremos saber mais e mais sobre a história de Constance e também querer uma boa conclusão para Émilie.

A autora faz muito bem as ligações entre o presente e o passado, não fica ali uma quebra estranha na narrativa. Está muito bem construído. E vai tendo várias reviravoltas e revelações surpreendentes.

Depois também há uma parte romântica a acontecer, que me deixou com arrepios na nuca logo de início, mas depois tem um final que adorei. Quer para a parte romântica, quer para a parte de conclusão, ou melhor, de ligação entre o passado e o presente!

Um livro maravilhoso, apesar de grande e com uma letra que podia ser maior!

Dei-lhe 5 estrelas no Goodreads! 

Leitura Terminada

48417759.jpg

Comecei por colocar neste post a sinopse dolivro, mas decidi apagar. Se ainda não leram a sinopse deste livro, olhem, não leiam! Vão para o livro à aventura. Porque esta sinopse para mim está demasiado reveladora. Devia ser metade pelo menos. Eu acho que li esta sinopse muito na diagonal na altura e quis muito ler este livro apenas pelo facto de ser do Fredrik Backman, porque li os dois livros anteriores dele e gostei muito!

A Britt-Marie é uma personagem inesquecível! Logo no início do livro, fartei-me de rir com algumas cenas, mas pensava “fogo, esta mulher é super irritante!”. E acabei o livro a gostar muito, muito dela. E a sentir que ela devia ter sido muito mais valorizada ao longo da vida. E mais amada. E mais abraçada. E tudo e tudo.

Então, a história começa quando Britt-Marie, depois de descobrir que o marido a traía, sai de casa e decide, aos 60 e tal anos, ir à procura de emprego. E de um sítio para morar. As peripécias logo de início com a rapariga do centro de emprego são de morrer a rir. E então, depois de muita insistência, é-lhe dado um emprego numa terrinha pequena no cú de Judas como funcionária de uma espécie de centro recreativo. Aqui também há momentos muito engraçados e personagens caricatas.

Mas este livro não é só paródia. É, mais uma vez, um livro muito, muito emotivo, sobre uma mulher que se descobre aos 60 e tal anos, depois de uma vida (quase) inteira a viver para um marido que a tratou como um trapo. Detestei o Kent!

Não vos quero contar muito mais sobre a história, mas foi sem dúvida mais um livro deste autor que me agarrou logo na primeira página e que nos traz uma personagem central por quem nos apaixonamos, no sentido em que primeiro se estranha e depois se entranha e acabamos a adorar a Britt-Marie.

Contudo, dei 4 estrelas a este livro e não 5 como aos outros dois do autor. Porque gostaria que o final tivesse sido ligeiramente diferente. Acho que, apesar de tudo, no final a Britt-Marie ainda foi bastante contida e não se deixou levar pelos sentimentos como poderia. São mais umas 4,5 estrelas.

Ainda assim é um livro maravilhoso, escrito por um autor que tem uma incrível capacidade de escrever livros sobre pessoas e de fazer o leitor ficar completamente agarrado às histórias e às personagens. Decididamente é um autor que passa para o top de autores a ler sempre que possível!

...

Isto passou mesmo a correr. Mas seja. Ainda ontem estávamos a banhos e já só faltam uns dias para o Natal... É assim, se calhar é melhor começar a pensar nas resoluções de Ano Novo 😂

Pág. 2/2