Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Curly aos Bocadinhos

Curly aos Bocadinhos

Dia da Criança

O Dia da Criança vai ser sempre o Dia da Criança. Tenhamos a idade que tivermos. Há uma criança dentro de nós que não desaparece nem pode. Hoje tenho crianças. Poderia pensar que o dia deixou de ser meu. Mas não. Não quero abdicar do meu direito a ter um Dia da Criança. Como fui uma criança simples e pouco exigente, lembro-me que os meus Dias da Criança eram especiais, não por ter grandes presentes, mas por pequeninas coisas que me deixavam feliz. Lembro-me, por exemplo, que se fosse dia de escola, era um bom dia para pedir um geladito. Primeiros dias quentes, sabia que nem ginjas. Lembro-me de uma vez ter aproveitado que era Dia da Criança para pedir se podia passar sem comer sopa ao jantar e podia comer outra porcalhice qualquer. Se não fosse dia de escola, era sempre um bom dia para ir à praia. Hoje, já crescidota (de idade, porque de tamanho nem por isso - e de idade mental também não) ainda continuo a apreciar essas coisas simples. Sinto-me sempre criança quando vou ao Jardim Zoológico. Amanhã é Dia da Criança. Vou ser criança, pegar nas crianças, e na criança grande que é o Semi-Deus e vamos ao Zoo. Ser crianças e ser felizes. Acho que nem um gelado me escapa.