Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Curly aos Bocadinhos

Curly aos Bocadinhos

Leitura Terminada

quarto escuro.png

SINOPSE

«Sou eu a minha prisão, agora. Até acordar cercada por grades, algures.»

Eduarda apenas sonhara em refazer a sua vida após a morte do marido, que a deixou sozinha no mundo com uma filha adolescente. Não desconfiou que essa nova casa, com um novo companheiro, a conduziria a uma vida de violência, destinada ao esquecimento. Anos de submissão encaminham-na para uma noite de tempestade.

Este é o momento em que as paisagens tão dissonantes da vida de seis mulheres se entrelaçam de uma forma inegável, numa demanda pelo significado da vida. Mães, filhas, amigas, amantes, casas devastadas pela dúvida e pela loucura - todas obrigadas a enfrentar o medo de voar no quarto escuro.

 

Não me lembro exactamente onde ouvi falar deste livro pela primeira vez. Talvez no canal da Ana Lopes ou da Maria João Covas. Mas ficou-me esta referência e há tempos aproveitei uma promoção da Wook para o comprar.

Desde logo gostei de duas coisas neste livro: da capa, que acho maravilhosa, e do tamanho. Gosto quando pego num livro mais leve, que não chega às 200 páginas, mas que tem o potencial de ser maravilhoso, de poder conter algo de muito bom nessas parcas páginas.

Depois, gostei de mais coisas neste livro. Gostei muito da forma como a autora escreve, tem uma escrita aparentemente leve, muito fluída, mas ao mesmo tempo muito cuidada e carregada de crueza.

Este livro na verdade não nos traz uma história, traz-nos a história de oito mulheres diferentes, cada uma com os seus problemas de vida, com as suas complexidades, num enredo muito bem conseguido de história dentro da história. Como são muitas personagens, temos de ter alguma atenção para saber quem é quem, porque o relato não é contínuo, vai mudando de voz. Mas se calhar não é bem o nome das personagens que importa, mas sim o trazer-nos um retrato bastante nu e cru ainda que algo aparentemente desprendido sobre problemas complexos, o mostrar-nos que podíamos ser de alguma maneira alguma daquelas mulheres. 

Dei-lhe 4 estrelas no Goodreads, não as 5, porque no final, por um lado entendi a forma como a autora conclui, por outro fiquei com algumas dúvidas sobre aquela possibilidade. Mas é um daqueles livros que vale muito a pena ler pela forma como a autora nos conta a história (ou as histórias). Recomendo!